Algoritmo do Instagram: o que é, como funciona e do que se alimenta?

Alguns dos principais perfis da internet amanheceram ontem alimentando uma polêmica: a de que o algoritmo do Instagram estaria limitando em 7% o alcance orgânico das publicações.

Você provavelmente deve ter visto posts na rede social sobre isso. Elas traziam uma imagem e pediam para que pessoas que a vissem marcassem sim. Segundo essas publicações, isso melhoraria a distribuição de conteúdo.

O fato foi logo desmentido por alguns especialistas de marketing digital. O diretor do AdResults, Fábio Prado Lima, postou uma série de Stories explicando porque a história não se sustenta.

Outros perfis também fizeram o mesmo e a discussão sobre quais fatores de fato impactam na distribuição do conteúdo na rede social voltou a tona.

Mas a questão é: da onde surgiu esse boato e quais fatores fazem com que um publicação seja (ou não seja) vista na rede social?

Da onde surgiu o boato?

Essa questão da limitação imposta pelo algoritmo não é nova. A discussão começou quando o Instagram mudou seu feed em 2016.

Até aquela época, as postagens eram vistas por ordem cronológica. Ou seja, a distribuição ocorria unicamente pelo quão recente uma publicação era.

Mas a equipe de produto da rede social decidiu mudar a regra. Alegando que melhoraria a qualidade do feed, ela seguiu algo que o Facebook e o Twitter fizeram. Eles mudaram a forma como o conteúdo é distribuído.

De uma hora para a outra, as publicações passaram a não serem mais vistas imediatamente por todos os seus seguidores quando elas eram postadas. Alguns fatores começaram a contar na distribuição do conteúdo.

Isso gerou protestos, alegações que o Instagram queria vender mais anúncios e indignação geral. Por outro lado, a equipe da rede social argumentou que a mudança melhoraria a qualidade do feed.

Houve ainda o temor de ocorrer o mesmo que aconteceu com o Facebook: o alcance orgânico ficar tão baixo que inviabilizasse a atuação por lá.

A empresa chegou a ensaiar que iria voltar atrás, mas não voltou. E, desde então, não se sabia ao certo quais os fatores que impactam diretamente na distribuição de conteúdo.

Isso até o mês passado.

Como o algoritmo do Instagram funciona?

Instagram Stories GIF by telenet - Find & Share on GIPHY

 

O barulho foi tão grande que em maio deste ano o time de produto da empresa reuniu jornalistas para falar a respeito dos fatores que impactam diretamente algoritmo do Instagram.

Dessa reunião, saiu uma matéria na TechCrunch, publicação especializada em tecnologia dos Estados Unidos. Nela, há algumas das principais informações sobre como a distribuição de conteúdo pela rede social funciona.

A primeira é que eles usam o machine learning para aprender mais sobre o que interessa para o usuário final.

Machine learning, ou aprendizado da máquina, é uma das mais promissoras tecnologias de inteligência artificial que permite que computadores aprendam a partir de uma base de dados.

Em suma, o algoritmo aprende com você: ele analisa os perfis que curte e as fotos que você interage para determinar o que potencialmente é ou não interessante para você.

A partir daí, ele monta um feed único e pessoal. Segundo a equipe do Instagram, mesmo que duas pessoas sigam exatamente os mesmos perfis, vai ser difícil elas verem o mesmo feed.

Além disso, a equipe elencou seis fatores que afetam o algoritmo do Instagram:

1. Interesse

Quais são seus interesses? Que tipo de publicação você engaja mais? Esse, segundo o time do Instagram, é o fator primordial do algoritmo. Aqui, a rede social preza pela qualidade do conteúdo e por quanto ela se encaixa no padrão de engajamento do usuário, mais do que qualquer outra coisa.

2. Novidade

O quão novo é um conteúdo? Embora a cronologia das postagens tenha perdido força, segundo o time do próprio Instagram ela conta na hora em que o algoritmo escolhe quais publicações priorizar.

3. Relacionamento

Qual seu relacionamento e grau de engajamento com determinado perfil? Quanto mais engajado você for com um determinado perfil, mais frequente as publicações dele vão aparecer para você. Questões como comentários em publicações e marcação nas fotos conta muito por aqui.

4. Frequência

A frequência com que o usuário abre o aplicativo também conta na formação do feed dele. O Instagram tenta mostrá-lo os melhores posts para o usuário desde a última vez que ele acessou o app.

5. Seguidores

Se um usuário segue uma grande quantidade de perfis, é provável que ele veja menos publicações de pessoas específicas. Isso porque a rede social vai buscar em uma base maior de autores publicações para montar o feed.

6. Uso

O tempo que o usuário gasta no aplicativo também é fundamental. Se uma pessoa abre, passa pouco tempo, e interage com as principais publicações, ou se ela analisa mais profundamente o feed. Esses comportamentos contam na hora do algoritmo montar estabelecer quais conteúdos mostrar.

Quais os mitos do algoritmo do Instagram?

Além de trazer os fatores de ranqueamento, a equipe do Instagram também se dedicou a desmentir alguns boatos sobre a rede social.

Entre eles, inclui o de que fazer stories ou lives melhora o alcance orgânico do feed. Segue alguns dos principais mitos do Instagram, desmentidos pela própria equipe:

  • O Instagram não vai mudar o feed para a ordem cronológica;
  • A rede social não esconde posts do feed de usuários. Você vai ver todas as publicações, se continuar no aplicativo;
  • O algoritmo não prioriza vídeo em relação a foto. Nem o contrário. O feed é construído com base em que formato de conteúdo uma pessoa interage mais;
  • O Instagram não prioriza conteúdo de quem usa stories ou faz lives;
  • A rede social não pune usuários que postam com muita frequência;
  • Não há priorização de perfis pessoais ou perfis de negócio no Instagram. Mudar de um para o outro não faz diferença;
  • O Instagram também não pune usuários por usar muitas hashtags.

Por que as pessoas sentiram uma diminuição do alcance no feed?

Apesar de todas as respostas oferecidas pela rede social, a pergunta acima continuou a ser feita. Afinal, muita gente tem reclamado na queda do alcance das suas publicações.

A resposta oferecida pela empresa é simples: concorrência.

Quanto mais pessoas criam perfis e geram conteúdo para a rede social, mais concorrido fica o feed e o alcance e engajamento geral das publicações cai para todo mundo.

É, segundo o time de produto da rede social, efeito do forte crescimento que o Instagram teve nos últimos anos.

Coisa semelhante ocorreu com o Facebook, em 2015, quando as polêmicas em relação ao algoritmo da rede social começaram a vir a tona.

Mas, diferente do Instagram, o Facebook atuou diretamente para diminuir a distribuição de conteúdo das páginas de negócio e aumentar o alcance de publicações de grupos e perfis pessoais.  Principalmente depois das polêmicas envolvendo fake news e a rede social.

Esse mesmo efeito vai ocorrer no Instagram?

Difícil dizer, mas acredito que não, até porque a dinâmica de conteúdo da rede social é bem diferente do Facebook.

Afinal, como alcançar mais pessoas no seu perfil do Instagram?

A resposta é simples:

  • Melhorar a qualidade do conteúdo publicado no seu perfil;
  • Interagir mais com seus seguidores.

Esses dois elementos são fundamentais para você manter seu engajamento alto e garantir a distribuição do conteúdo gerado.

Como o Instagram é uma rede social visual, é essencial investir em imagens de boa qualidade e entender que tipo de publicação seu público interage mais.

São fotos? São montagens? São publicações com uma descrição mais extensa? Ou menores? Para entender isso, você precisa conhecer bem o seu público alvo e testar.

Não há uma fórmula secreta que funcione para todo mundo. Pessoas agem de forma diferente dependendo do mercado e da localização que elas estão.

Mas abaixo compartilho algumas dicas que podem ajudar.

Crie uma persona para o seu perfil

Criar uma buyer persona para o seu perfil do Instagram pode dar uma luza na hora de estabelecer quais conteúdos postar. No processo de criação, procure entrevistar seus seguidores e potenciais clientes e entender quais são as principais dores que eles têm, os conteúdos que eles querem ver e como você pode atuar nisso.

Seja interessante

Parece óbvio, mas é necessário relembrar: se o perfil do Instagram da sua marca não for interessante para a sua audiência, ele provavelmente vai ficar escondido no feed das pessoas. Publicações interessantes tem mais a ver com o conteúdo que você pode oferecer, do que com o que você tem para vender. Ter isso em mente na hora de montar sua estratégia de conteúdo é fundamental para a plataforma.

Interaja com seus seguidores

Tirar um tempo para interagir com seus seguidores, seja respondendo comentários, marcando clientes em publicações e criando publicações interativas também conta pontos para você. Seja criativo aqui e procure sair do lugar comum. Quanto mais engajamento você conseguir criar, melhor vai ser para a distribuição de conteúdo.

***

É isso!

Agora que você já sabe como o algoritmo do Instagram funciona, que entender melhor sobre anúncios de Facebook? Eu escrevi um texto há um tempo sobre isso que já ajudou muita gente. Dá uma passadinha lá!

 

2 comentários em “Algoritmo do Instagram: o que é, como funciona e do que se alimenta?

Deixe uma resposta