Categorias
Marketing Digital Notícias

Google Tag Manager: O que é e por que você precisa dele?

A maior parte dos profissionais de marketing digital certamente já ouviu falar ou utiliza diariamente o Google Tag Manager.

Porém, nós sabemos que a ferramenta, lançada em 2012 pela gigante da Internet, ainda desperta inúmeras dúvidas sobre o uso e suas principais funcionalidades. 

Apesar de ser amplamente utilizada no monitoramento de algumas métricas importantes dentro do seu site (visitas e conversões, por exemplo) e análise de resultados, o Google Tag Manager (ou carinhosamente abreviado para GTM) é uma robusta plataforma que permite muito mais.

O rastreamento dos passos de quem acessa um site é um dos fatores de maior interesse e atenção dos profissionais de marketing digital devido ao papel fundamental dentro das diversas estratégias de captação.

Com isso, as possibilidades e facilidades trazidas pelo GTM conseguiram fazer ele tomar um lugar cativo na suíte de ferramentas e nas atividades diárias.

Se você quer conhecer mais sobre a ferramenta e como ela pode tornar o cotidiano dos times de marketing mais produtivos, continue lendo e confira!

Você sabe o que é o Google Tag Manager?


A palavra mais indicada para descrever o Google Tag Manager a partir da sua importância para os profissionais de marketing é “autonomia”.

Como seu próprio nome sugere, trata-se de uma solução gratuita do Google para facilitar o gerenciamento de tags de marketing em sites e apps sem que o profissional precise alterar o código destes.

Nós sabemos o quanto é desgastante e até mesmo uma dificuldade a instalação dos famosos scripts e pixels para acompanhamento.

Porém, as demandas que costumavam ser diretamente enviadas para o TI passam a ser resolvidas facilmente com o GTM, permitindo otimização de tempo e dinamismo na troca desses códigos no caso de testes.

Quando o GTM entra em seu site por meio de um único código de fácil inserção, os dados registrados no site, blog ou app que você deseja monitorar, passam a se comunicar com outras fontes de dados parceiras integradas (Google Ads, Analytics, Pixel do Facebook, entre outras).

Vale destacar, que o Google Tag Manager reúne todas as tags dos sites gerenciados em um único local, o que torna as atividades de análise ainda mais práticas.

Como funciona o Google Tag Manager?

Com o processo de inserção de tags e acompanhamento de métricas sendo automatizado as possibilidades se ampliam e a rotina se torna facilitada.

Para além de mostrar número de visitas do site, as integrações do Google Tag Manager permitem o suporte, por exemplo, ao remarketing no Google e Facebook Ads. Mas afinal, como o GTM funciona na prática? 

Seu funcionamento pode ser compreendido a partir de seus três principais pilares: as tags, os acionadores (ou triggers) e as variáveis. Entenda mais sobre cada um deles:

Tags

Tratam-se dos scripts que você inclui para conseguir monitorar o site. Alguns exemplos já citados aqui são as tags de remarketing, de acompanhamento do Analytics, de conversão do AdWords, do pixel do Facebook, entre outras. 

Esse códigos são o que torna possível o rastreamento e análise de tráfego, conversão e demais itens dentro do comportamento dos visitantes.

Com o Google Tag Manager, é possível configurar quais tags deseja disparar e em que momento, o que é extremamente útil para monitorar e registrar ações importantes dentro do seu site.

Mas, para funcionar bem, ele depende do nosso próximo conceito: os acionadores.

Acionadores (Triggers)

Como introduzimos, os acionadores são as condições que irão determinar quando uma tag será disparada.

Essas condições podem ser definidas a partir de um clique, envio de um formulário, clique no botão de WhatsApp, abertura de uma página, etc.

Aqui o profissional de marketing tem o poder em mãos e pode estabelecer suas condições de acordo com a estratégia traçada.

Variáveis

Além das tags inseridas nos códigos para que seja possível a coleta e análise dos dados e dos acionadores que determinam em que momento as tags serão ativadas, há ainda as variáveis.

Estas funcionam como complementos aos dois outros itens, adicionando mais condições para o acionamento das tags e outros parâmetros de monitoramento.

As variáveis podem ser manipuladas dentro de suas tags ou de seus acionadores.

O Google Analytics pode ser citado como um exemplo de variável, que ao ser cadastrada permite maior praticidade nos monitoramentos que você tenha mais velocidade e praticidade nas análises.

Como começar a usar o Google Tag Manager?

Agora que você conheceu um pouco do que é e os principais pilares da ferramenta, está na hora de começar a usar!

Após acessar a plataforma, basta realizar o login com sua conta do Google ou a que você utiliza para monitorar seu site no Analytics, por exemplo. 

Em seguida basta criar uma conta no Google Tag Manager, escolher um nome e dentro desta você vai decidir como vai os domínios que você quer instalar o programa. 

É comum que se faça uma conta para uma única empresa e dentro desta são criados diferentes contêineres, um para cada site diferente.

Isso caso você gerencie múltiplos domínios.

Ao criar o contêiner, o Google vai solicitar em seguida que você instale o código no site que quer monitorar. 

Como o GTM possui seu próprio código você só precisará realizar essa operação uma única vez. Você deverá inserir o código entre as tags <head> e <body> no HTML de todas as páginas que precisar monitorar.

Com a inserção finalizada, basta inserir tags ao contêiner e em seguida publicar o contêiner, permitindo que ele carregue no no site as tags adicionadas.

Dica: sempre configure primeiro os acionadores. Você pode criar um que funcione ao apertar um botão específico do site, por exemplo, ou um que dispara no envio de um formulário.  

 

Por que o Google Tag Manager é tão importante?

Uma ferramenta gratuita e que promete autonomia, dinamismo e otimizações consideráveis para a rotina dos profissionais de marketing digital não precisa de muitas justificativas para sua importância, não é mesmo?

Afinal, para todo e qualquer plano que envolve a definição de ações de conversões em sites exige o monitoramento eficiente do comportamento dos visitantes..

Sua parceria e integrações com outras ferramentas da própria Google e parceiros e também um dos grandes diferenciais a serem destacados.

Além disso, podemos citar a possibilidade de gerenciar diversas contas e a gestão das tags instaladas nos sites através de uma única plataforma. 

Fatores como o aumento da produtividade, facilidade no acompanhamento de métricas e dados importantes, otimização de execução da estratégia e ampliação da gama de possibilidades para planos posteriores são os maiores motivadores para os usuários.

E você, já fez a sua conta no GTM?

Se você é um profissional de marketing que busca estar sempre antenado e aprendendo, confere também esse conteúdo com indicações incríveis de 10 cursos de marketing digital (a maioria gratuitos)!

Débora Silva

Por Débora Silva

Publicitária que voltou os caminhos da carreira para o inbound marketing e a produção de conteúdo para web. Grande apaixonada pela cultura hip hop, defensora das mais diversas manifestações da arte urbana e eterna engajada na luta por um mundo mais justo!

Comentários