Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Como o ChatGPT funciona e o que aprender com isso?

Atualmente, muito se discute sobre o ChatGPT, porém, raramente se explora o GPT, a nova tecnologia que impulsiona uma das inovações mais comentadas da atualidade.

Neste texto, vamos destrinchar rapidamente o que é o GPT, além de te oferecer 3 percepções valiosas sobre como ele pode ser útil para você e apontar suas principais limitações.

O que é GPT?

GPT é a sigla para Generative Pre-trained Transformer, ou em tradução livre, Transformador Generativo Pré-treinado. Isso basicamente nos dá uma pista sobre sua natureza e capacidades:

Generativo: Tem a habilidade de criar conteúdos diversos, como textos, imagens e até vídeos, a partir de comandos iniciais dados por usuários.

Pré-treinado: Antes de estar pronto para uso, o GPT é alimentado com uma enorme quantidade de dados não etiquetados. Utiliza-se técnicas de aprendizado de máquina e redes neurais, sem ser especificamente treinado para uma tarefa única. Estima-se, por exemplo, que o GPT-4 foi treinado com cerca de 10 trilhões de palavras.

Transformer: Esta é uma estrutura de rede neural criada por engenheiros do Google em 2017, destacando-se por sua habilidade de processar dados simultaneamente (em paralelo), acelerando significativamente o desempenho. O processamento é realizado através de “tokens”, que são essencialmente conjuntos de palavras interpretadas pela IA.

O ChatGPT, uma das aplicações dessa tecnologia, é um sistema de chat que emprega o GPT para facilitar conversas de maneira fluída e natural entre o usuário e a máquina.

Ok, entendi o que é GPT. Mas e agora, o que posso tirar disso?

Muitos não discutem a fundo o potencial real e as limitações concretas do ChatGPT. Com base na descrição anterior e nas informações disponíveis na documentação da OpenAI, vou destacar três insights cruciais para você:

1 – A capacidade generativa do GPT significa que é crucial saber como inserir os comandos certos para obter os melhores resultados. Ele não só pode criar textos, mas também imagens e vídeos. Isso abre um leque de possibilidades para quem sabe como direcionar suas solicitações de forma eficaz.

2 – Sendo pré-treinado com um vasto conjunto de dados não rotulados, o GPT tem a flexibilidade de ser adaptado e utilizado com seus próprios dados. Isso sugere que, com a abordagem correta, pode-se personalizar a ferramenta para atender necessidades específicas, aumentando seu potencial de aplicação.

3 – A janela de contexto do GPT é vital, mas frequentemente subestimada. Para dar uma ideia, o ChatGPT pode considerar até 4 mil tokens de uma vez, o que equivale a aproximadamente 3 mil palavras. Isso significa que a forma como estruturamos e apresentamos as informações ao ChatGPT pode afetar significativamente a qualidade e relevância das respostas geradas.

Bem, é isso! Espero que essa explicação e essas dicas sejam úteis para a próxima vez que você for fazer um projeto utilizando o ChatGPT!

Compartilhe com seus amigos!

Novos

Mais antigos

Continue vendo