Como fazer pesquisa de mercado usando dados do Google?

Avalie este post

Uma dos principais objetos de análise de alguém que se dedica integralmente ao marketing digital é a pesquisa de palavra chave e o valor que se tem para anunciar nela no Google.

Isso porque a rede de busca é um dos principais canais de venda online. Uma pessoa que digita, por exemplo, “seguro auto” tem uma intenção de compra muito alta. Trazê-la para a sua página pode garantir um excelente retorno financeiro para você.

A partir daí, as empresas anunciam para essas e outras palavras chaves importantes no Google. O preço, pago pelo clique, é estabelecido por meio de um leilão que o mecanismo faz automaticamente entre os anunciantes.

Nesse leilão ganha os anúncios com maior qualidade e que conseguem bater o preço médio da palavra chave. Por exemplo, “seguro auto” em Natal custa em média R$ 1,57 e tem potencial de trazer, em um mês, 140 cliques para o site do anunciante.

Para aparecer em primeiro lugar, você precisa desembolsar pelo menos R$ 1,58, além de ter um anúncio de boa qualidade.

Certo, mas por que você está falando disso?


Por um motivo: avaliar o CPC de palavras chaves ajuda a entender como está a concorrência em um determinado mercado. Quanto maior for a concorrência online, mais cara fica a palavra e melhor (ou mais caro) vai ficar o seu marketing. E vale lembrar que esse custo também varia por região.

Uma concorrência alta numa palavra chave significa também que ela tem um potencial muito grande de conversão. Se há muitas marcas que anunciam para ela, é um indício de que ela pode levar a uma compra, por exemplo.

Além de colocar no plano de mídia, com essa informação um bom estrategista de marketing digital vai tentar ranquear organicamente um site para aquela palavra. Isso porque se o site da empresa aparece no primeiro resultado orgânico, ele vai receber milhares de visitas de pessoas com alto potencial de compra e, de quebra, a empresa vai economizar uma fortuna em Google Ads.

Vamos analisar o caso da palavra “seguro auto”. O site que ranqueia em primeiro lugar para ela, segundo o Ubersuggest, é o Minutoseguros. Por conta disso, estima-se que ele recebe cerca de 6 mil visitas mensais vindas só por conta dessa palavra.

pesquisa de palavra chave seguro auto

Agora imagina o quanto eles economizam? Segundo o Semrush, este mesmo site recebe em média 160 mil visitas orgânicas vindas de mais de 27 mil palavras chaves diferentes. Caso anunciassem no Google Ads, para ter esse mesmo tráfego eles gastariam US$ 129 mil.

analise de palavra chave

Um baita dinheiro, né?

Pois é, um dos segredinhos dos principais especialistas de marketing digital é avaliar os CPCs e o volume de busca de palavras chaves importantes para encontrar oportunidades perdidas por aí.

Essas oportunidades podem tanto ser de criar anúncios mais baratos ou de posicionar organicamente sites dos seus clientes para que eles consigam um bom dinheiro com isso tudo.

E uma ferramenta bem legal para fazer isso é CPC Map, da Semrush. Mas o que é e como funciona essa ferramenta? Abaixo, explico melhor.

Como fazer pesquisa de mercado usando o Semrush?

O CPC Map do Semrush é uma ferramenta que dá uma média de custo de anúncio em determinadas regiões. Por ainda estar em fase beta ele está disponível gratuitamente para consultas.

Para se ter uma ideia, segundo a ferramenta, o estado do Brasil com o CPC mais alto é São Paulo com uma média de R$ 2,31 por palavra chave. Já o Acre ocupa a última posição, com apenas R$ 0,20.

Isso mostra duas coisas: é mais barato anunciar no Acre porque a concorrência é baixa (provavelmente há poucas marcas locais que usam o Google no seu mix de marketing), mas para avaliar o potencial de conversão seria necessário olhar melhor no volume e intenção de buscas de palavras chaves importantes.

Em São Paulo, a concorrência é bem alta e o valor também demonstra que a probabilidade de conversão é maior. Para ter sucesso no mercado de lá, é possível que o anunciante precise gastar um bom dinheiro.

No Rio Grande do Norte, estado onde moro, o custo médio está entre os mais baixos do Brasil: R$ 0,63 e os segmentos com maior volume de busca estão dominados por anunciantes maiores (ainda há poucos anunciantes locais).

Apesar disso há algumas oportunidades no RN para anunciantes locais. O segmento de “casa, decoração e arquitetura” possui volume significativo de busca e uma média de CPC relativamente baixa:

Há boas oportunidades para palavras relacionadas a objetos de decoração e para a área de arquitetura e design.

Um anúncio focado nesse nicho e que leva a uma landing page específica sobre esses temas tem potencial de trazer um bom retorno para os anunciantes.

Mas então como começar a usar o CPC Map?

Para fazer isso, você precisa fazer uma conta no Semrush. Para criar e analisar, basta seguir os passos abaixo:

1 – Acesse o site do Semrush e clique em log-in.

2 – Depois, clique em register e prossiga com seu e-mail e senha.

3 – No dashboard, ao lado esquerdo, tem a opção CPC Map. Clique nela.

4 – No tela, você vai ver o mapa do Brasil. No menu suspenso à direita você pode mudar para US$ para R$ e analisar os valores na nossa moeda.

5 – No menu de baixo, você consegue avaliar o CPC e as palavras chaves por categoria. Ao lado esquerdo, é possível ver o custo médio e o volume de cada uma dessas palavras.

Pronto, depois de mexer na ferramenta, você certamente vai ter bons insights para o seu negócio. Se quiser fazer uma análise mais profunda sobre uma determinada palavra chave, recomendo este texto.

Nele explico algumas formas de fazer isso e, melhor, de forma gratuita.

Conclusão

Os dados gerados pelo Google oferecem formas bem legais de avaliar um determinado mercado do ponto de vista da concorrência, da probabilidade de conversão e também das diferenças entre as regiões.

Com o software certo, é possível analisar palavras chaves relevantes e tirar informações preciosas que vão ajudar na sua estratégia de marketing digital.

Se você gostou do texto (e gosta do blog), assine a minha newsletter. Nela, envio uma vez por semana a melhor curadoria de textos de marketing digital da internet e, juro, não vou te mandar spam!

Comentários