Categorias
Notícias

Linkedin Ads: como anunciar em 5 passos simples?

O investimento em tráfego ou publicidade na internet por meio de ferramentas como Facebook, Instagram ou Google Ads já é comum e está previsto nos budgets de empresas dos mais diversos segmentos. Porém, quando o assunto é criar anúncios no LinkedIn Ads ainda há certo desconhecimento e até mitos envolvidos na conhecida rede social do mundo corporativo.

É importante destacar que, ao longo dos últimos anos, o LinkedIn foi consideravelmente aperfeiçoado e hoje a sua plataforma de anúncios ganhou robustez e diversos recursos dignos de brilhar os olhos dos profissionais de marketing digital. Com melhorias no nível de segmentação, temos um exemplo para quem procura impactar as audiências com conteúdos relevantes para um público extremamente específico.

Mas o quanto você conhece, de fato, do Linkedin Ads?

Para conseguir aproveitar todo o potencial que a ferramenta tem a oferecer para as empresas, independente do mercado de atuação ou porte, você precisa de conhecimento! Pensando nisso, escrevi este artigo sobre a plataforma de anúncios Linkedin Ads. Continue lendo, pega a caneta e o bloco de anotações e entenda o que é e como anunciar na ferramenta!

Afinal, o que é Linkedin?


O LinkedIn ficou conhecido como uma rede social profissional e já conta com mais de 500 milhões de usuários no mundo. Apenas no Brasil o número de usuários ultrapassa os 30 milhões! Fundada em 2003 na Califórnia (EUA) e lançada por Reid Hoffman, foi comprada pela Microsoft em 2016 por US$ 26 bilhões. Atualmente, a empresa é liderada por Jeff Weiner que já ocupava o cargo de Presidente Interino desde 2008.

É comum falarmos no Linkedin como uma rede social de nicho, justamente por seu foco em negócios e networking, ideal para quem busca as melhores oportunidades para a carreira. Porém, recentemente as empresas têm percebido os impactos que a rede pode trazer também nas suas atividades de captação e não apenas para awareness.

O Brasil ocupa posição de privilégio no ranking entre os países com maior número de profissionais cadastrados, com cerca de 36 milhões de usuários. No top 3, estamos atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. Seguindo um formato “convencional” de rede social, o Linkedin possibilita a interação entre os usuários, influenciando potencialmente as respectivas carreiras e a forma como o mercado enxerga o seu currículo e perfil.

A proposta da rede impacta em todas as interações, linguagem, formato, informações que compõe o perfil dos profissionais, dentre outros aspectos. No geral busca-se conexões de negócio, sendo os motivos mais comuns para a presença das pessoas na rede:

  • Atualização sobre sua atuação;
  • Conexão com empregadores e outros profissionais;
  • Divulgação do próprio trabalho;
  • Oportunidade de contato com influencers em suas área.s

Nem preciso dizer aqui que as empresas realmente utilizam o Linkedin como um dos critérios em processos seletivos. Se utilizado como importante complemento do currículo e/ou portfólio, um bom perfil pode ser determinante para o sucesso de um candidato.

Com cerca de 159 milhões de visitantes únicos por mês e uma média de 2 bilhões de updates semanais, profissionais e empresas só tem a ganhar com as possibilidades disponíveis no Linkedin. Porém, quem possui como foco conquistar clientes de negócios Business to Business (B2B), as oportunidades podem ser ainda maiores.

Mas por que essa ferramenta é tão importante para o B2B?

Como a rede social profissional número 1 pode contribuir para os negócios que vendem produtos/serviços para outros negócios?

Afinal, entendemos o Linkedin como um lugar para networking, oportunidades, conhecimento e crescimento profissional. No entanto, a ferramenta também é excelente para fazer negócios, especialmente para empresas focadas no mercado corporativo, as chamadas B2B.

Segundo um relatório de benchmark B2B do Content Marketing Institute com enfoque na América do Norte, cerca de 92% das empresas deste segmento utilizam redes sociais para distribuição de conteúdo. Dentre elas, 97% utilizam o LinkedIn na estratégia e a tendência só cresce em diversas outras partes do mundo.

Assim como cada rede social possui suas particularidades, o Linkedin segue regras e cada uma destas deve ser cuidadosamente observadas por aqueles que desejam se destacar e ganhar respeito dentro da plataforma enquanto organização.

Um dos primeiros pontos é entender os clientes B2B como pessoas, porque, afinal é o que elas são! Na hora de promover sua empresa/solução no LinkedIn, o conteúdo deve ser feito pensando nestas pessoas, decisores nas empresas que você busca atingir.

Um conteúdo de qualidade entregue no momento certo para o decisor pode fazer toda a diferença dentro da estratégia de contato entre duas empresas.

As oportunidades de negócio dentro do mercado B2B não são geradas do dia para a noite, fortalecendo a importância de uma estrutura bem planejada envolvendo canais específicos para aumentar as chances de sucesso nos negócios.

Anuncie no Linkedin Ads em 5 passos

A plataforma de anúncios do LinkedIn é capaz de criar campanhas muito bem segmentadas, possibilitando que se atinja públicos específicos, seja a partir de cargos, localizações ou empresas de interesse.

Ela oferece vários formatos diferentes de anúncios e garante que você consiga um nível de exposição muito maior e melhor direcionado de acordo com o propósito da sua empresa ou campanha.

Fique sempre atento ao contexto e especificidades do Linkedin enquanto plataforma e aproveite as oportunidades trazidas dos seus anúncios.

Mas primeiro, como anunciar?

 

1 – Escolha seu objetivo

 

Uma campanha no Linkedin Ads se inicia, em geral, pela escolha dos objetivos mais importantes para o negócio naquele momento específico.

Ela visa alinhar as expectativas com a ferramenta, personalizar sua campanha e guiar os demais passos é possível escolher entre os seguintes objetivos:

  • Consciência: refere-se ao reconhecimento da marca;
  • Consideração: voltado para visitas ao site, engajamento, visualizações de vídeo;
  • Conversão: focado na geração de leads, conversões de sites, candidaturas à vagas de emprego.

De acordo com o objetivo escolhido, sejam impressões, cliques ou visualizações de vídeo ou qualquer outro, todo o restante da experiência de criação de campanha será determinado.

 

2 – Selecione os critérios de segmentação

 

Em seguida é necessário fazer a seleção do público-alvo, que funciona da mesma maneira, independentemente do tipo de anúncio que você escolher.

Ao utilizar adequadamente as ferramentas de segmentação é possível alcançar facilmente o público desejado. É possível escolher entre 20 categorias diferentes a partir de atributos, incluindo:

  • Tamanho da empresa
  • Nome da empresa
  • Interesses dos colaboradores
  • Habilidades, e várias outras.

A segmentação é um elemento fundamental para que a veiculação de uma campanha de Linkedin Ads tenha sucesso, visto que ao acertar sua segmentação o conteúdo terá maior envolvimento e, consequentemente, maiores taxas de conversão.

 

3 – Defina o formato

 

Agora que você já se familiarizou com o Campaign Manager a criação se inicia efetivamente dentro da plataforma.

Nessa etapa você pode usar os seguintes formatos: conteúdo patrocinados, anúncios de mensagens, anúncios dinâmicos, anúncios de texto ou uma mistura de todos os quatro. Confira a seguir um pouco mais sobre cada um deles.

 

Conteúdo Patrocinado (Sponsored Content)

 

Aparece diretamente no feed do LinkedIn dos profissionais que você deseja alcançar, e pode vir em três formatos diferentes: anúncios gráficos únicos (imagens), em vídeo e em carrossel.

Ao usar o conteúdo patrocinado, você pode segmentar seus públicos mais valiosos usando dados primários e baseados em perfis, bem como alcançar um público altamente engajado com anúncios nativos e responsivos.

 

Anúncios de mensagem (Message Ads)

 

Este formato permite que você alcance seus clientes em potencial no chamado “LinkedIn Messaging”, o recurso de chat da ferramenta.

É fundamental aqui que se tenha clareza sobre o mapeamento do comportamento do público busca atingir, visto que há uma parcela específica de profissionais que utilizam este recurso.

Se no seu mapeamento o público passam parte do tempo realizando conversas profissionais por lá, fará sentido investir nesse recurso. Ao usar este tipo de anúncio, você pode enviar mensagens diretas aos seus clientes potenciais para desencadear uma ação imediata.

A partir desse formato é possível gerar engajamento e respostas mais eficientes do que o email marketing tradicional e avaliar melhor o valor que você está obtendo, observando quais profissionais estão realizando ações a partir da mensagem.

Anúncios dinâmicos (Dynamics Ads)

É utilizado quando se deseja personalizar seu criativo direcionado para cada membro do seu público-alvo em grande escala.

Os anúncios dinâmicos usam os dados do perfil do LinkedIn, tais como foto, nome da empresa e cargo, com o objetivo de aumentar o envolvimento a partir de três visualizações:

  • Anúncio do seguidor:  promove sua página do LinkedIn ou página de apresentação para levar os membros a segui-la com um único clique no anúncio a partir da experiência na área de trabalho.
  • Anúncio em destaque: direciona o tráfego do site ou inicia uma ação como o registro de eventos ou a apresentação de um novo produto.
  • Anúncio de emprego:  aumenta os candidatos relevantes, personalizando os anúncios com os melhores talentos mapeados de acordo com a segmentação.

Anúncios de texto (Text Ads)

São anúncios simples que utilizam o sistema de pagamento por clique (PPC) ou custo por impressão (CPM). Com os anúncios de texto, você pode criar facilmente seus próprios anúncios e lance uma campanha em minutos, adaptando as mensagens aos profissionais que você precisa alcançar.

 

4 – Defina seu orçamento e cronograma

Ao ter clareza sobre o público que deseja atingir, segmentá-lo e escolher o formato do anúncio é hora de definir o orçamento e a programação da sua campanha. Para essa etapa existem três opções:

  • O custo por envio (CPS – Cost per send) é utilizado quando você executa campanhas de anúncios de mensagem. Você paga por cada mensagem entregue com êxito.
  • O custo por clique (CPC – Cost per click) é frequentemente utilizado para campanhas orientadas para a ação, como geração de leads ou registro de eventos.
  • O modelo de custo por impressão (CPM – Cost per impression) geralmente é mais adequado quando o objetivo é reconhecimento da marca (brand awareness).

Além de escolher a opção mais adequada para sua campanha, você deverá escolher um lance sugerido, orçamento diário, data de início e de término da campanha, além de sinalizar qual o orçamento total.

Independentemente da data de término escolhida, você pode cancelar sua campanha a qualquer momento.

Também é importante observar que o LinkedIn usa um sistema de leilão para lances que recompensam o engajamento, o que significa que você pode ganhar um leilão sem ser o maior lance, semelhante ao que acontece no Google Ads.

5 – Avalie os resultados e otimize sua campanha

Chegar neesta etapa significa que sua campanha de LinkedIn Ads está finalmente ativa!

Com isso, é chegada a hora de observar o desempenho dos anúncios acessando a parte de análises visitando o Campaign Manager e selecionando as campanhas que deseja avaliar.

Você pode acompanhar as impressões gerais, cliques, as chamadas “ações sociais” e orçamento da sua campanha.

As ações sociais são as iniciadas por membros do LinkedIn que interagem com seu conteúdo – é um envolvimento orgânico e gratuito.

Quando você clica nas campanhas é possível ver o desempenho de cada anúncio por campanha e editá-los, se necessário, refinar sua segmentação, ajustar seu orçamento, além de ativar e desativar as variações de anúncios com base no desempenho.

Se você está no mercado B2B, os anúncios do Linkedin Ads podem ser fundamentais para o sucesso da sua estratégia, mas eles também podem funcionar bem se você estiver dentro do mercado B2C, tudo vai depender da forma que a ferramenta é configurada e do que você espera alcançar com ela.

O custo dos anúncio, a interface ou os tipos de segmentação não podem representar obstáculos sem que antes você compreenda o contexto e a qualificação do público-alvo.

Esteja atento ao comportamento da sua audiência, realize testes de anúncios para entender a ferramenta… o importante é começar!

E para te ajudar nessa etapa fundamental que é a pesquisa de audiência, confira um conteúdo mostrando como você pode fazer pesquisa de mercado usando a base de dados do Google através de ferramentas gratuitas!

Débora Silva

Por Débora Silva

Publicitária que voltou os caminhos da carreira para o inbound marketing e a produção de conteúdo para web. Grande apaixonada pela cultura hip hop, defensora das mais diversas manifestações da arte urbana e eterna engajada na luta por um mundo mais justo!

Comentários