Um homem segurando celular com Tinder na mão

Qual indicador de performance usar para você ter um resultado melhor no Tinder

Este artigo trata de duas coisas que fazem (ou fizeram) parte do meu dia a dia de forma constante: marketing digital e aplicativos de paquera.

Ao estudar mais sobre indicadores de performance, ou no jargão do marketing digital os KPI’s, me peguei pensando se não havia um que pudesse ser utilizado otimizar um perfil no mais famoso app de paquera do mundo.

Para quem não está familiarizado, o KPI (do inglês Key Performance Indicator) é um conjunto de métricas que demonstra o quão efetivo está sendo uma ação de marketing, de acordo com o seu objetivo.

Por exemplo: se eu sou dono de uma inovadora marca de pirulitos e quero que todo mundo na internet saiba que ela exista, preciso de uma campanha de reconhecimento de marca.

Um bom indicador de performance pode ser o número de fãs que minha marca tem nas redes sociais ou o número de visitas no site, por exemplo.

Os indicadores de performance variam de acordo com o objetivo da campanha e utilizam as diversas métricas que hoje existem no marketing digital para poder medir a qualidade e o sucesso de uma ação de marketing.

Já o Tinder é mais fácil de explicar.

Se você esteve solteiro de uns anos para cá, ou se tem algum amigo solteirão, já deve pelo menos ter ouvido falar do app.

Lançado em 2012, o Tinder é um aplicativo simples onde, baseado nas fotos, descrição do perfil e informações demográficas de potenciais paqueras, você marca se pode ou não haver um possível interesse.

Se dois marcarem o coração, a mágica (ou o match) acontece e uma tela de chat abre.

Qual indicador de performance usar para potencializar meu perfil no Tinder?

Se você está no Tinder, então seu objetivo é atrair pessoas com quem você pode ter uma relação e, quem sabe, entrar em um compromisso mais sério. Quero supor que este, então, é seu objetivo de marketing.

O Tinder é um aplicativo visual e a maior parte dos “matchs” se dão por duas razões:

1 – Qualidade da foto;

2 – Descrição do perfil;

É claro que amigos em comum no Facebook, ou a função mais recente de integrar o Spotify e checar se há compatibilidade musical com o crush também ajuda.

Mas é natural que uma combinação perfeita entre foto e descrição é o fator importante para você se dar melhor no aplicativo.

Pois bem, temos duas coisas objetivas para avaliar: foto e texto.

Há, porém, um problema: o Tinder não oferece métricas. Você não tem como saber qual foto performa melhor no aplicativo, embora a partir das últimas atualização você tem a possibilidade de deixar o próprio aplicativo selecionar a melhor foto para você.

Outra questão é que fazer teste a/b de descrição no Tinder é incrivelmente difícil.

Enquanto para anúncios do Facebook há plataformas que facilitam (e MUITO) esse tipo de teste, o aplicativo não te deixa selecionar três descrições diferentes, enviar para um grupo de teste e medir qual o melhor.

O que daria para fazer é abrir e encerrar o perfil umas três vezes, no mesmo período de tempo, com descrições diferentes (e fotos iguais) e saber em qual delas o número de match foram maiores.

Mas aí é muito trabalho (e desespero).

Se você procura todo mundo, então você não procura ninguém

Todo mundo tem um tipo de parceiro ideal. Há gente que gosta de pessoas altas, há os que gostam dos baixinhos.  Tem aqueles que estilo é importante, tem outros que o lance é ser fitness.

Enfim, a variedade é imensa e o algoritmo do Tinder ainda não separa pessoas por perfis românticos semelhantes.

Isso nos leva a uma conclusão imediata: há matchs mais valiosos do que outros. Aqueles que são dados por pessoas que você tem uma atração maior, conta mais ponto para você do que aquelas pessoas que talvez não sejam tão atraentes.

Usar métricas para otimizar seu perfil no Tinder, se forem escolhidas de forma errada, pode aumentar o número de matchs, mas diminuir a qualidade deles. Isso é algo que não queremos aqui.

Então se você quer ter um perfil de Tinder matador, para atrair as pessoas que você se sente mais atraído, você precisa de uma persona.  Um “romantic persona”, digamos assim, antes da gente partir para o indicador de performance em si.

Procure por ex-namoradas (ou ex-namorados) e pessoas com quem se relacionou para montar um perfil. Você já saber mais ou menos que tipo de pessoa você tende a se sentir atraído, mas seria interessante escrever de forma detalhada. Algo tipo assim:

Júlia entre 25 e 30 anos, é baixinha, tem cabelo encaracolado e tatuagens no corpo. Ela é estudante universitária, espírito empreendedor, gosta de conhecer pessoas diferentes e de viajar. Já esteve em outros relacionamentos, então tem certa experiência nisso. Gosta de filmes, séries e sushis (…)

Tente ser o mais detalhado possível, isso será bem importante na hora de avaliar suas métricas.

O Instagram é importante ou Narciso ficaria com inveja agora

Se a foto é fator determinante no Tinder e o aplicativo não nos oferece métricas para gente medi-las, um KPI interessante pode ser o número de curtidas de uma foto sua no Instagram.

Ai já é um começo, mas se a gente fala que qualidade é maior que quantidade, talvez seja necessário ir a fundo.

Um teste interessante seria procurar as 5 ou 10 fotos mais curtidas nas suas redes sociais e avaliar os perfis de quem curtiu.

A partir dessa avaliação, procurar ver quais as fotos foram curtidas por pessoas que você se sente mais atraído.

Seria uma métrica do tipo “attractiveness trough rate” (ATR – ou taxa de atratividade).

Se você gostar de matemática, você pode fazer uma escala dessa métrica de 0 a 1, onde 1 todas as pessoas que curtiram sua foto você se sente atraído e iniciaria uma relação com ela e 0 onde nenhuma delas você sente atração suficiente para um possível namoro.

As fotos com melhor pontuação seriam escolhidas para o seu perfil do Tinder. Feito isso, vamos para a segunda parte.

Nem tudo é imagem, jovem padwan

Se no Tinder nem tudo é foto e uma boa descrição conta pontos, a gente precisa tomar um tempinho para se preocupar com textos.

É quase um consenso que descrições engraçadinhas no app tendem a se destacar mais em relação àquelas mais sérias. Isso porque elas ajudam a quebrar o gelo e a te destacar no meio da multidão.

Outra estratégia interessante é a de pensar em descrições que podem abrir brecha para um assunto pós match.

Ou seja, engraçadinha ou não, a descrição tem de falar de você não só ao ponto de chamar a atenção do seu par ideal, mas também de iniciar um assunto.

Se o objetivo aqui é metrificar qual seria sua melhor descrição, eu usaria como indicador de performance o número de curtidas de uma descrição no Facebook.

A estratégia é simples: escrever três descrições, postar no Facebook (e deixar aberta só para os seus amigos verem) e colher os resultados.

Compare qual teve o maior número de curtidas e qual gerou engajamento. Vale também usar uma espécie de pesquisa qualitativa aqui, perguntando aos amigos mais próximos quais as que eles acham que te resumem melhor de forma criativa.

Utilizando essas técnicas do marketing digital, acho que é possível otimizar seu perfil no Tinder com o objetivo de fazer com que você tenha mais sucesso na sua vida amorosa.

Será que dá certo? Se a resposta for sim ou não, comente abaixo, eu ficaria bem feliz em saber. Ah e se tiver outras métricas para sugerir, seria bem legal se pudesse compartilhar aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *